Disciplinas Regulares

Disciplinas regulares

Cordenação: Ana Maria Moura da Silva, Denise Vilarinho Tambourgi,Sandra Coccuzzo Sampaio Vessoni,

Carga horária:78

Crédito: 5

Ementa:
Esta disciplina, obrigatória, pretende iniciar os alunos ao estudo da toxinologia, abordando a origem das toxinas, mecanismos de ação e efeitos em vítimas de acidentes com animais peçonhentos. O curso de pós-graduação em toxinologia receberá alunos com formações distintas e que, no geral, não foram introduzidos ao tema. Tal disciplina dará ao estudante noções básicas do universo de venenos e toxinas, animais peçonhentos e envenenamentos que servirão de base para o aprofundamento nas disciplinas eletivas. Conteúdo Programático: 1- História natural dos principais grupos de animais peçonhentos: Evolução, Ecologia, Classificação; 2- Envenenamentos por animais peçonhentos, Sintomas clínicos dos envenenamentos por animais de importância médica, Abordagens terapêuticas; 3- Toxinas e sistemas biológicos: Neurotoxinas, Toxinas que afetam a hemostasia, Toxinas e resposta inflamatória, Citotoxinas; 4- Seminários.

Bibliografia:
1- Animais peçonhentos no Brasil: Biologia, clínica e terapêutica dos acidentes. Cardoso et al., São Paulo, Sarvier, 2003, 1ª. Ed. 2- Handbook of Clinical Toxicology of Animal Venoms and Poisons. Jurg Meier, Julian White. 3- Handbook of animal toxins. R. Stocklin, 2003. 4- Artigos de periódicos especializados na área de Toxinologia e áreas básicas de conhecimento como bioquímica, farmacologia, imunologia e biologia celular que tragam os recentes avanços da área.

Cordenação: Roxane Maria Fontes Piazza, Luis Roberto de Camargo Gonçalves,Sonia Aparecida de Andrade Chudzinski,

Carga horária:15

Crédito: 1

Ementa:
1. Capacitar os alunos a apresentarem e discutirem seus resultados e fomentar a integração dos alunos das várias linhas de pesquisas estimulando a multidisciplinaridade. 2. Treinar os alunos de Doutorado a apresentarem seu projeto e resultados em inglês. Esses seminários seriam uma oportunidade de treinamento e aperfeiçoamento dos alunos e de estímulo ao conhecimento das várias áreas dentro da Toxinologia. Assim, pretende-se que o aluno apresente seus resultados e artigos científicos relacionados aos temas, de forma clara e didática no contexto de uma literatura atualizada. Isto permitirá a discussão de resultados, aprendizagem de metodologias atualizadas, adequação de abordagens experimentais e desenvolvimento da análise crítica de seu projeto de pesquisa. Além disso, como o Programa está incentivando a internacionalização de suas atividades, é imprescindível que os alunos, pelo menos de doutorado, consigam expor e discutir seus resultados em inglês. Conteúdo Programático: Apresentação dos projetos e/ou resultados obtidos nas dissertações ou teses pelos alunos de Pós-graduação, sendo que os alunos de Doutorado apresentarão em inglês; Discussão do trabalho apresentado.

Bibliografia:
Não se aplica.

Cordenação: Daniela Eleutério da Luz,

Carga horária:15

Crédito: 1

Ementa:
Oferecer aos pós-graduandos palestras e mini workshops com temas relevantes ao programa e ao Instituto Butantan com pesquisadores convidados tanto da Instituição com de outras Instituições do Brasil e do exterior. Através das palestras e mini workshops pretende-se ampliar os conhecimentos sobre temas diversos bem como propiciar ambiente propício para o contato com novos temas, profissionais da área, bem como estimular o estudante a discutir os aspectos de interesse apresentados. Conteúdo Programático: Não há conteúdo específico. A programação dos seminários e palestras é realizada por uma Comissão designada para este fim que irá definir a linha das palestras a serem realizadas em determinado período.

Bibliografia:
Não se aplica. Eventualmente os pesquisadores convidados disponibilizam elementos de sua produção científica relacionados ao tema a ser apresentado como forma de fornecer elementos aprofundar as discussões a serem realizadas na palestra.

Cordenação: Carlos Alberto Gonçalves Silva Jared, Marta Maria Antoniazzi,

Carga horária:60

Crédito: 4

Ementa:
O curso objetiva introduzir o aluno nos fundamentos da evolução e da biologia dos vertebrados em geral, aprofundando particularmente nos anfíbios e répteis. A partir daí, discute-se a origem e o papel adaptativo dos sistemas de defesa química, através de toxinas, em cada grupo. Pretende-se, assim, fornecer a base zoológica e de história natural a fim de que o aluno possa dispor de ferramentas conceituais para formar uma visão multidisciplinar da Toxinologia. Atualmente, dentro do estudo das toxinas, o mais comum é que o aluno tenda para as áreas experimentais, compartimentalizando os seus conhecimentos. Nesse contexto, temos a intenção de elaborar um curso no qual a Toxinologia seja concebida dentro de um universo de estudo mais abrangente, que inclua conceitos de biologia e zoologia gerais, envolvidos com a Evolução e a História Natural. Conteúdo Programático: 1- Conceitos gerais e História da Evolução; 2- Adaptação e Seleção Natural; 3- A Evolução dos Vertebrados; 4- Os Anfíbios; 5- Os Répteis; 6- Evolução dos Sistemas de Defesa; 7- A Defesa Passiva e a Ativa; 8- A biologia e o veneno dos peixes, anfíbios e répteis; 9- Outros grupos de vertebrados venenosos; 10- Mitos e folclore relacionados ao veneno dos vertebrados.

Bibliografia:
1-Ménez A. The subtle beast. Snakes, from Myth to Medicin. Taylor & Francis Group, London, 2003. 2-Pough F.H., Andrews R.M., Cadle J.E., Crump M.L., Savitzky A.H. & Wells K.D. Herpetology. (3rd Edition). Benjamin Cummings Publisher, USA, 2003. 3- Pough F.H., Janis C.M. & Heiser J.B. A Vida dos Vertebrados (4a Edição). Atheneu Ed. São Paulo Ltda., São Paulo, 2008. 4- Clarke B.T. The natural history of amphibian skin secretions, their normal functioning and potencial medical applications. Biol. Rev. 72:365-379, 1997.

Cordenação: Ana Leonor Abrahão Nencioni, Solange Castro Afeche,

Carga horária:60

Crédito: 4

Ementa:
Mostrar as possibilidades das neurotoxinas presentes em venenos ou em outras fontes naturais como ferramenta para o estudo de estruturas nervosas, de processos fisiológicos ou patológicos assim como possíveis usos terapêuticos. Discutir os mecanismos de ação dessas toxinas relacionando-os à sua aplicabilidade. As peçonhas, os venenos e os produtos de origem bacteriana são fontes ricas de produtos selecionados pela natureza no decorrer da evolução que, além de ter sua função no ciclo de vida de quem os produz, podem ter uma aplicabilidade variada como ferramenta de estudos de diversos processos biológicos. Nesse panorama se destacam as neurotoxinas que têm sido usadas para elucidar a estrutura e o funcionamento dos locais onde elas se ligam. Além disso, várias são suas possibilidades como produtos terapêuticos ou de controle biológico já utilizados e principalmente, que ainda podem ser desenvolvidos à partir do estudo de seus mecanismos de ação. Conteúdo Programático: Aulas teóricas: 1- Toxinas como ferramenta para o estudo dos canais de sódio; 2- Toxinas como ferramenta para o estudo dos canais de potássio; 3- Toxinas como ferramenta para o estudo dos canais de cálcio; 4- Aspectos terapêuticos das conotoxinas; 5- Neurotoxinas de origem microbiana (toxinas botulínica e tetânica) e suas aplicações; 6- Aspectos terapêuticos das conotoxinas; 7- Neurotoxinas de origem microbiana (toxinas botulínica e tetânica) e suas aplicações; 8- Neurotoxinas convulsivantes; 9- Neurotoxinas anticonvulsivantes; 10- Peptídeos antimicrobianos e citolíticos; 11- Fosfolipases A2; 12- Alfa- Neurotoxinas elapídicas e suas aplicações; 13- Dendrotoxinas; 14- Neurotoxinas e o tratamento das neoplasias. Seminários: 1- Neurotoxinas de escorpiões; 2- Neurotoxinas de aranhas; 3- Neurotoxinas de serpentes; 4- Neurotoxinas de conus; 5- Neurotoxinas de origem microbianas; 6- Neurotoxinas e desenvolvimento.

Bibliografia:
1- Arias, H. R. and Blanton, M.P., Alpha-conotoxins. Int.J.Biochem.Cell Biol. 32: 1017-1028, 2000. 2- Catterall, W. A.; Cestele, S.; Yarov-Yarovoy, V.; Yu, F. H.; Konoki, K. and Scheuer, T.. Voltage-gated ion channels and gating modifier toxins. Toxicon 49: 124-141, 2007. 3- Cestele, S. and Catterall, W. A.. Molecular mechanisms of neurotoxin action on voltage-gated sodium channels. Biochimie 82: 883-892, 2000. 4- Davletov, B.; Bajohrs, M. and Binz, T.. Beyond BOTOX: advantages and limitations of individual botulinum neurotoxins. Trends Neurosci. 28: 446- 452, 2005. 5- Gurevitz, M.; Karbat, I.; Cohen, L.; Ilan, N.; Kahn, R.; Turkov, M.; Stankiewicz, M.; Stuhmer, W.; Dong, K. and Gordon, D.. The insecticidal potential of scorpion beta-toxins. Toxicon 49: 473-489, 2007. 6- Harvey, A. L.; Bradley, K. N.; Cochran, S. A.; Rowan, E. G.; Pratt, J. A.; Quillfeldt, J. A. and Jerusalinsky, D. A.. What can toxins tell us for drug discovery? Toxicon 36: 1635-1640, 1998. 7- Harvey, A. L.. Twenty years of dendrotoxins. Toxicon 39: 15-26, 2001.

Cordenação: Inácio de Loiola Meirelles Junqueira de Azevedo, Solange Maria de Toledo Serrano,

Carga horária:60

Crédito: 4

Ementa:
Permitir ao aluno o conhecimento das técnicas moleculares atualmente empregadas no estudo de toxinas que se baseiam na investigação de seus cDNAs e genomas. Proporcionar conhecimento amplo sobre a complexidade proteômica/peptidômica das secreções tóxicas animais, as classes de toxinas que constituem cada tipo de secreção tóxica e as abordagens metodológicas para sua análise. Fazer uma revisão dos principais trabalhos na área e discutir suas contribuições. Após décadas de estudos bioquímicos direcionados a caracterização de toxinas específicas, a difusão das ciências ômicas (genômica, transcriptômica e proteômica) trouxe novas perspectivas para um entendimento global dos venenos. A velocidade de geração de informações e a possibilidade de manipulação da informação gênica são atrativos desta forma de análise. Por esse caminho, diversos venenos vêm sendo caracterizados e novas toxinas descobertas. As análises transcriptômica e proteômica possibilitam ainda a descoberta de novas toxinas e/ou ferramentas biológicas ou terapêuticas. Esta disciplina pretende então capacitar o aluno com uma visão crítica dos benefícios e limitações das diversas abordagens experimentais empregadas no estudo de toxinas, tornando-o apto a compreender e utilizar tais metodologias quando for necessário. Conteúdo Programático: - Relações entre Genoma, Transcriptoma e Proteoma; - Métodos clássicos de análise de transcritos e genomas; - Plataformas de sequenciamento de Nova Geração (NGS); - RNAseq como ferramenta para descoberta de toxinas; - Bioinformática básica para análise da expressão gênica; - Métodos clássicos para o isolamento de proteínas e peptídeos; - Sequenciamento de peptídeos e proteínas por degradação de Edman; - Conceitos básicos sobre análise de peptídeos e proteínas por espectrometria de massas; - Eletroforese bidimensional de proteínas; - Identificação de proteínas por digestão in gel com tripsina e análise por espectrometria de massas; - Análise de misturas complexas de proteínas por digestão com tripsina, cromatografia bidimensional e análise por espectrometria de massas; - Seminários de artigos sobre os temas acima ao longo do curso.

Bibliografia:
1-A ser disponibilizada no início do curso. 2- Bases Moleculares da Biotecnologia. H. Ulrich (Ed.). Editora Roca, São Paulo, 2008, 218p. 3- Bioquímica. D. Voet e J. G. Voet. 3ª. Edição, Artmed, 1596p. 4- Lehninger Princípios de Bioquímica. D. L. Nelson e M. M. Cox, 4ª. Edição, Sarvier, 1232p. 5- Protein Sequencing and Identification Using Tandem Mass Spectrometry. M. Kinter and N.E. Sherman (Wiley Interscience, 2000), 301p. 6- Outros Livros de Biologia Molecular e Genômica. 7- Artigos de Revisão. 8- Websites de Plataformas de NGS e Bioinformática.

Cordenação: Ana Marisa Chudzinski Tavassi,

Carga horária:60

Crédito: 4

Ementa:
Esta disciplina visa aprofundar o conhecimento dos alunos sobre os mecanismos de distúrbios hemostáticos induzidos por toxinas animais, através de uma abordagem molecular relacionada aos sistemas fisiopatológicos de mamíferos. Venenos e secreções animais, oriundos de serpentes, artrópodes, hematófagos, induzem alterações significativas no controle da hemostasia. Entender os mecanismos envolvidos é de fundamental importância para a compreensão e atuação terapêutica nos envenenamentos e também para identificar moléculas que possam ter aplicação terapêutica, ou como ferramenta biológica para patologias humanas ligadas a distúrbios de hemostasia. Conteúdo Programático: 1- Caracterização bioquímica e mecanismo de ação de toxinas ou moléculas ativas com ação: no sistema de coagulação, na fibrinólise, na agregação plaquetária, em células endoteliais, em membrana basal e componentes da matriz extra-celular; 2- Seminários; 3- Avaliação.

Bibliografia:
1- Haemostasis and Thrombosis Basic Principles and Clinical Practice. Colman,R.W. et al, Philadelphia, J.B. Lippincott Company, 2006, 5a Ed. 2- Animais peçonhentos no Brasil: Biologia, clínica e terapêutica dos acidentes. Cardoso et al., São Paulo, Sarvier, 2003, 1ª. Ed. 3- Handbook of Clinical Toxicology of Animal Venoms and Poisons: Jurg Meier, Julian White. 4- Handbook of animal toxins: R. Stocklin, 2003. 5- Selistre-de-Araujo, H. S. (Org.) ; Souza, D. H. F. (Org.) . Métodos em Toxinologia: Toxinas de serpentes. 1. ed. São Carlos: EDUFSCar, 2007. 1. 258p. 6- Artigos de periódicos especializados na área de Toxinologia e áreas básicas de conhecimento como bioquímica, farmacologia, imunologia e biologia celular que tragam os recentes avanços da área.

Cordenação: Catarina de Fátima Pereira Teixeira,

Carga horária:75

Crédito: 5

Ementa:
A disciplina tem por objetivo proporcionar ao aluno conhecimento atualizado na área de toxinas, com ênfase nos efeitos inflamatórios, antiinflamatórios, nociceptivos e analgésicos, e vivência e capacidade crítica para a utilização das toxinas como ferramentas científicas para estudos em inflamação e dor e para o desenvolvimento de novos fármacos com atividade antiinflamatória e analgésica. Nas últimas duas décadas, a área de toxinologia proporcionou a descoberta de toxinas animais com importantes atividades farmacológicas, úteis como ferramentas científicas e/ou como modelos para o desenvolvimento de novos fármacos. De outra parte, a busca por novos compostos com atividade antiinflamatória e analgésica mais eficazes e com menor número de efeitos adversos, tornou-se intensa. Neste contexto, as toxinas animais representam uma fonte importante de informação e modelos importantes para o desenho de novos agentes terapêuticos com aquelas propriedades. Face à extensa biodiversidade brasileira, ainda pouco explorada, a formação de recursos humanos em ciência, capacitados a investigar produtos ativos naturais, na área de inflamação e dor, é de suma importância. Conteúdo Programático: Serão ministradas aulas teóricas abordando conceitos gerais da fisiopatologia da inflamação e dor e seu controle, bem como os mecanismos envolvidos nos efeitos inflamatórios, nociceptivos, antiinflamatórios e analgésicos de diferentes grupos de toxinas e de outros substâncias obtidas de venenos animais. As aulas teóricas constarão dos seguintes tópicos: i) aspectos gerais da inflamação – fases aguda, crônica e resolução; fenômenos vasculares; componentes e funções celulares; moléculas de adesão e mediadores inflamatórios; ii) aspectos moleculares da inflamação- receptores e transdução de sinal; iii) conceitos gerais sobre sensibilização periférica e central, nocicepção, hipernocicepção, hiperalgesia e alodinia; iv) ativação de nociceptores, mediadores químicos e canais iônicos da transdução e transmissão da informação nociceptiva; v) vias periféricas e centrais de transmissão da dor; vi) mecanismos endógenos de modulação da dor; vii) modo de ação dos fármacos analgésicos e antiinflamatórios; viii) toxinas animais com atividade inflamatória e mecanismos de ação; ix) toxinas animais com atividade antiinflamatória e mecanismos de ação; x) mecanismos celulares e moleculares, periféricos e centrais envolvidos na dor causada por venenos/toxinas animais; xi) toxinas animais com atividade analgésica: mecanismos de ação. Os conceitos teóricos serão sedimentados e discutidos em Seminários. Além disso, serão ministradas aulas práticas para o aprendizado de modelos experimentais in vivo e ex vivo, para estudos da inflamação e in vivo para estudos de dor. Os modelos a serem aplicados para estudo da inflamação serão: peritonite, edema de pata, indução do extravasamento plasmático (permeabilidade vascular) e de alterações da rede microcirculatória e fagocitose. Para estudo da dor, os modelos experimentais serão: hiperalgesia, pelos métodos de Randall & Sellito e von Frey eletrônico; dor fásica, pelo modelo da placa quente; dor manifesta, pelo teste de incapacitância. A partir da aplicação desses modelos serão estudados os efeitos de toxinas com atividades já descritas.

Bibliografia:
1- Cells, Tissues and Disease. Eds. Majno, G.; Joris, I.. Blackwell Sci, USA, 1996. 2- Robbins Pathologic basis of disease. Eds: Cotran, R.S.; Kumar, V.; Collins, T.. 6a ed., W.B. Saunders Com., Philadelphia, USA, 1999. 3- Medzitov, R. Origin and physiological roles of inflammation. Nature 454, 428-435, 2008. 4- Serhan, C.N., Savill, J.. Resolution of inflammation: the beginning programs the end. Nature Immunol. 6, 1191-1197, 2005. 5- Henson, P. M. Dampening inflammation. Nature Immunology, 6: 1179-1205, 2005. 6- Wool, C.J. Pain: moving from symptom control toward mechanism-specific pharmacologic management. Ann. Intern. Med. 140: 441-451, 2004. 7- Giordano, J. The neurobiology of nociceptive and anti-nociceptive systems. Pain Physician. 8: 277-90, 2005. 8- Lee, Y.; Lee, C. H. Oh. U. Painful channels in sensory neurons. Mol. Cells 20: 315-324, 2005. 9- Millan, M. J. Descending control of pain. Progress in Neurobiology, 66: 355-474, 2002. 10- Schaible, H. G.; Richter, F. Pathophysiology of pain. Langenbecks Arch. Surg., 389: 237-243, 2004. 11- Cury, Y., Oliveira-Filho, R.M., DeLucia R. Opióides In: Farmacologia Integrada.3 ed.Rio de Janeiro : Livraria e Editora Revinter Ltda, v.31, p. 267- 281, 2007.

Cordenação: Luis Roberto de Camargo Gonçalves,

Carga horária:90

Crédito: 6

Ementa:
Apresentar e discutir a fisiopatologia dos envenenamentos por ofídios, aracnídeos e lepidópteros, nos quais a sintomatologia resulte em alterações na hemostasia e/ou lesões no local da picada. A maioria dos animais peçonhentos de importância médica do Brasil possui venenos que induzem alterações hemostáticas e/ou no local da picada. Muitos apresentam toxinas que atuam em vários componentes do sistema hemostático (coagulação, plaquetas, fibrinólise, vasos, etc.) causando coagulopatias com sangramentos. Outros causam, além de distúrbios hemostáticos, lesões no local da picada, as quais podem causar sérias seqüelas. A soroterapia, eficiente em reverter os distúrbios hemostáticos, não apresenta a mesma eficiência no tratamento das lesões locais observadas nestes envenenamentos. Assim, é fundamental que os especialistas em toxinologia tenham conhecimentos básicos da fisiopatologia do envenenamento experimental e/ou acidental humano e a eficácia do tratamento. Conteúdo Programático: 1- Epidemiologia dos acidentes por animais peçonhentos; 2- Aspectos clínicos dos envenenamentos por ofídios, aracnídeos e lepdópteros; 3- Hemostasia normal e ações de venenos animais na hemostasia; 4- Alterações hemostáticas nos acidentes por animais peçonhentos; 5- Fisiopatologia das ações locais induzidas por venenos animais; 6- Soroterapia: limitações e perspectivas.

Bibliografia:
1- Cardoso, J.L.C.; França, F.O.S.; Wen, F.H.; Málaque, C.M.S.; Haddad Jr., V.. Acidentes por animais peçonhentos: Biologia, clínica e terapêutica dos acidentes. São Paulo, Sarvier, 2003. 2- Artigos científicos fornecidos durante o curso.

Cordenação: Ana Marisa Chudzinski Tavassi, Yara Cury,

Carga horária:60

Crédito: 4

Ementa:
Esta disciplina visa desenvolver o interesse dos alunos sobre processos inovativos e sua indicação de proteção intelectual, bem como sobre os passos para o desenvolvimento de inovações a partir de elementos da biodiversidade. Secreções e fluidos biológicos tais como venenos possuem em sua composição moléculas com funções altamente especializadas e que podem ser desenvolvidas, após provas de conceito bem definidas, para se tornarem novos agentes que podem ser usados em áreas como biotecnologia, farmacêutica, veterinária, cosmetologia etc. Apesar de termos no país massa crítica com condições científicas para a descoberta de nova substâncias com potencial para patenteamento e desenvolvimento de novos produtos, há escassez de recursos humanos especializados na área ou mesmo de infraestrutura necessária para a realização de provas de conceito, obedecendo critérios exigidos por órgãos regulatórios, bem como para testes pré clínicos. Isso é ainda muito insipiente no Brasil, necessitando de pessoal treinado para esta atividade. Por esta razão torna-se necessário o treinamento de alunos de pós-graduação em diversos pontos da cadeia inovativa, desde o delineamento de um documento para proteção intelectual até o desenvolvimento de tecnologias, passado pelo preparo em conceitos de sistema de qualidade. Esta disciplina visa conscientizar e entusiasmar os alunos para inovações que possam integrar processos produtivos. Conteúdo Programático: 1- Definição de patententeabilidade e patentes; 2- Conceitos de sistema de qualidade; 3- Provas de conceito e fases do desenvolvimento; 4- Seminários; 5- Avaliação.

Bibliografia:
1- www.uspto.gov; www.anvisa.gov.br; www.inpi.gov.br; www.ich.org. 2- Artigos especializado com exemplos de desenvolvimento com potencial farmacêutico, utilizando secreções animais: a- Bailey, P., Wilce, J.. Venom as a source of useful biologically active molecules. Emerg. Med. (Fremantle), 13: 28-36, 2006. b- Brazil, V. Do emprego da peçonha em terapeutica. Anais Paulistas de medicina e Cirurgia, 60 (5): 389-408, 1950. c- De Lima, D. C.; Alvarez Abreu, P.; de Freitas, C. C.; Santos, D. O.; Borges, R. O.; Dos Santos, T. C.; Mendes Cabral, L., Rodrigues, C. R.; Castro, H. C.. Snake venom: Any Clue for Antibiotics and Cam? Evid Based Complement Alternt. Med. 2 (1): 39-47, 2005. d- Hogg, R. C. Novel approaches to pain relief using venom- derived peptides. Curr. Med. Chem. 13: 3191-3201, 2006. e- Newman, D.J.; Cragg, G.M. Marine natural products and related compounds in clinical and advanced preclinical trials. J Nat Prod, 67: 1216-38, 2004. Drug Discov., 2:790-802, 2003.

Cordenação: Daniel Carvalho Pimenta, Ivo Lebrun,

Carga horária:75

Crédito: 5

Ementa:
O estudo dos peptídeos e de seus mecanismos de ação tem ganhado importância cada vez maior em virtude das vantagens estruturais (síntese e geração de análogos) e farmacológicas (especificidade e biodisponibilidade) e de sua importância na modulação dos processos fisiopatológicos. Recentemente a possibilidade, até então inexistente, da produção e obtenção em larga escala além do desenvolvimento de novos compostos para o “drug delivery” tem criado a possibilidade de real utilização destes compostos como protótipos farmacêuticos e até fármacos. Com isto o estudo e a melhor compreensão do papel desempenhado por estes compostos bem como o entendimento das estratégias para o isolamento e elucidação da estrutura é fundamental para o estudante que deseja ampliar o conhecimento nesta área. O curso tem por objetivos 1- dar uma visão geral sobre a importância dos peptídeos nos processos fisiológicos e uma visão sistemática sobre as diversas abordagens existentes nesta área. 2- Estudo dos peptídeos bioativos e as principais famílias já caracterizadas (cininas, encefalinas, endorfinas, etc.) e seu mecanismo de ação. 3- Estratégias para o isolamento de peptídeos e definição de sua estrutura (HPLC, FPLC, espectrometria de massas e sequenciamento por degradação de Edman). 4- Tipos de estratégias para a definição da estrutura tridimensional (difração de raio X, dicroísmo circular, ressonância nuclear magnética) e síntese de peptídeos (em fase sólida, em solução) ou por biologia molecular. 5- Importância dos peptídeos nos processos enzimáticos (cinética e inibição) e como efetores em canais iônicos. 6- Atividade biológica de peptídeos e definição dos efeitos através de modelos de experimentação em preparações biológicas. 7- Perspectivas na utilização de peptídeos como fármacos. O curso será ministrado através de aulas teóricas, seminários e eventualmente práticodemonstrativas. Conteúdo Programático: 1- Apresentação do curso; 2- Aspectos Gerais do Tema; 3- Métodos de purificação e isolamento de peptídeos; 4- Determinação da estrutura de peptídeos; 5- Síntese de peptídeos; 6- Métodos biológicos para a caracterização de peptídeos; 7- Peptídeos como substratos ou inibidores de enzimas; 8- Principais "famílias" de peptídeos bioativos e sua importância em processos fisiopatológicos; 9- Perspectivas para a utilização de peptídeos como biofarmácos.

Bibliografia:
1- The Pharmacological Basis of therapeutics. Tenth Edition Goodmann & Gillman, McGraw-Hill, Biochemistry Stryer; 4th Edition; Freeman & Co. 2- Strucuture and mechanism in protein science –Alan Fersht; Freeman & Co. 3-Mass Spectrometry of proteins and peptides.John R. Chapman; Humana Press. 4- Practical HPLC method development. Second Edition; Snyder, Kirkland & Glajch; John Wiley & Sons, Inc. 5- Além destas referências básicas serão selecionados artigos recentes sobre os temas abordados para apresentação e discussão.

Cordenação: Denise Vilarinho Tambourgi,

Carga horária:60

Crédito: 4

Ementa:
Há uma crescente fragmentação do conhecimento em decorrência das abordagens mecanicistas sobre estrutura e função de toxinas e de protagonistas da imunidade. Essa disciplina sugere um enfoque inovador na tentativa de motivar os estudantes a desenvolverem uma visão crítica sobre os conceitos advindos de estudos sobre o tema central proposto, contribuindo com suas formações criativas. Essa disciplina visa transmitir o desenvolvimento do conhecimento sobre as relações de resistência e sensibilidade a toxinas seguindo uma abordagem integrada entre as ações de toxinas e o sistema imune. Conteúdo Programático: 1)- Aventuras do Conhecimento sobre Envenenamentos; 2)- Aspectos Evolutivos de Toxinas e Imunidade; 3)- Modelos de Estudos sobre Características Imunológicas de Resistência e Sensibilidade a Toxinas; 4)- Fatores Genéticos e Ambientais na Resposta Imune; 5)- Expressões Quantitativas e Qualitativas de Toxinas e Imunidades; 6)- Aspectos Celulares e Sinais de Reconhecimento; 7)- Receptores e Apresentação de Antígenos; 8)- Aspectos Moleculares: Efetores da Imunidade; 9)- Aspectos Locais dos Envenenamentos: Resposta Inata e Adquirida; 10)- Aspectos Sistêmicos dos Envenenamentos: Resposta Inata e Adquirida

Bibliografia:
Janeway's Immunobiology – 7ª edição – 2008, Garland Science, Taylor & Francis Group Handbook of Clinical Toxicology of Animal Venoms and Poisons. Jurg Meir, Julian White. Artigos de periódicos especializados nas áreas de Toxinologia e de Imunologia.

Cordenação: Roxane Maria Fontes Piazza,

Carga horária:60

Crédito: 4

Ementa:
Revisar e atualizar os mecanismos moleculares da sinalização celular, estudar as toxinas que interferem na sinalização, bem como salientar as técnicas mais utilizadas na área de sinalização intracelular. O crescente número de sistemas intracelulares que participam da sinalização mostra a importância e a complexidade da resposta celular, tais como contração, secreção, crescimento, diferenciação, etc. A compreensão desses sistemas é de fundamental importância para o desenvolvimento de pesquisas na área de toxinologia, visando o estudo do mecanismo de ação de toxinas. Este estudo poderá favorecer a descoberta de ferramentas farmacológicas importantes para o estudo da sinalização, bem como agentes terapêuticos. Conteúdo Programático: Noções sobre receptores, Noções sobre mecanismos moleculares da sinalização intracelular, Toxinas bacterianas definição e classificação; mecanismos e alvo de ação; toxinas do grupo I (superantígenos e toxina termoestável); toxinas do grupo II (toxinas que danificam a membrana celular); toxinas do grupo II (toxinas do tipo A/B). Toxinas interferindo na sinalização, Técnicas aplicadas no estudo da sinalização; Técnicas aplicadas para detecção da produção de toxinas bacterianas.

Bibliografia:
1- Signal Transduction, Ed. By Heldin, C.H. & Purton, M, 1st edition, Published by Chapman &Hall, London, 1996. 2- Molecular Biology of the Cell, Ed. By Alberts, B. et al., 3rd edition, Garland Publishing, Inc, New York & London, 1994. 3- Cell Biology, A Laboratory Handbook, Ed. By Celis, J.E., 2nd edition, Academic Press, San Diego, 1998. 4- Signal transduction protocols, Ed. by Kendall, D.A. & Hill, S.J., Human Press, Totowa, 1995. 5- Handbook of Cell Signaling, Ed. By Bradshaw, R.A. & Dennis, E.A., Academic Press, 2004, 3 volumes. 6- Guidebook to protein toxin and their use in cell biology, Ed. By Rappuoli, R & Montecucco, C, Sambrook & Tooze Publication, 1997.

Cordenação: Ronaldo Zucatelli Mendonça, Geraldo Santana Magalhães,

Carga horária:60

Crédito: 4

Ementa:
Capacitar o aluno com os conceitos necessários para desenvolver projetos envolvendo a expressão, produção e estudo de proteínas recombinantes. Um grande número de toxinas de diferentes espécies animais vem sendo estudadas com o intuito de se encontrar novas moléculas com potencial uso farmacológico. Entretanto, uma limitação nestes estudos é justamente com a dificuldade de se obter as toxinas de interesse isoladas e disponíveis em grandes quantidades para a realização de testes de ação biológica. Atualmente para se resolver estes problemas são empregadas diversas técnicas de engenharia genética que visam isolar genes de diferentes toxinas e posteriormente expressá-los em organismos diferenciados como bactérias, leveduras, células de inseto ou de mamífero. Este procedimento não só garante uma grande quantidade da toxina de interesse, mas também permite a manipulação da sequência de DNA da toxina clonada. A escolha dos diferentes tipos celulares para expressar toxinas recombinantes é feita levando-se em consideração, entre outros fatores, a facilidade de manipulação do organismo, a complexidade da molécula a ser expressa e o custo operacional da produção da proteína recombinante. Desta forma, o presente curso visa estudar a biologia dos diferentes sistemas celulares de expressão, explorar a escolha de cada um destes sistemas e apresentar metodologias de clonagem e análise gênica por bioinformática para realizar estas expressões. Conteúdo Programático: 1) Células como biorreatores na produção de toxinas:- células procarióticas e eucarióticas, - culturas celulares; 2) Expressão gênicas e proteica em células procarióticas e eucarióticas: - estrutura do DNA e código genético, - transcrição e o controle da transcrição gênica, - tradução e direcionamento da proteína; 3) Uso de bioinformática como ferramenta para análise gênica e clonagem: - utilizando bancos de dados com sequência de nucleotídeos e proteínas, - busca de similaridade em bancos de dados, - projetar primers para PCR,- construção de alinhamento de sequências múltiplas, - alguns recursos úteis de bioinformática; 4) Clonagem e expressão de toxinas em organismos heterólogos:- bactérias, - leveduras, - baculovírus, - células de mamífero; 5) Análise da expressão recombinante de proteínas: -análise da expressão de mRNA por PCR em tempo real, - análise por métodos imunoquímicos (SDS-PAGE/Wstern Blot, ELISA, imunofluorescência), - análise da atividade biológica; 6) Análise estrutural de proteínas recombinantes: - estrutura secundária (dicroísmo circular), - trabalhando com estruturas 3D de proteínas,- estrutura e função: exemplos comparativos entre proteínas nativas e recombinantes.

Bibliografia:
1- Molecular Biology of the Cell, 5th edition. Bruce Alberts, Alexander Johnson, Julian Lewis, Martin Raff, Keith Roberts and Peter Walter (New York: Garland Science, 2007)- ISBN-10: 0815341059/ ISBN-13: 978-0815341055. 2- Real-Time PCR Current Techology and Applications. Julies Logan, Kirstin Edwards and Nick Saunders (Caister Academic Press- Norfolk, UK). ISBN: 978-1-904455-39-4. 3- Gene Cloning and DNA Analysis: An Introduction 5th edition (March 3, 2006)- ISBN: 1405111216. 4- Protein Expression: a practical approach (Practical Approach Series) [Paperback]. S. J. Higgins (Editor), B. D. Hames (Editor). 5- From Genes to Cells. Stephen R. Bolsover, Jeremy S. Hyams, Steve Jones, Elizabeth A. Shephard and Hugh A. White (Wiley-Liss, 1997)- ISBN 0-47459792-9.

Cordenação: Fernando Mauricio Francis Abdalla,

Carga horária:75

Crédito: 5

Ementa:
O curso compreende a revisão e atualização de conceitos fundamentais em farmacologia e um aprofundamento em temas específicos da área de toxinas, especialmente a caracterização de ações de toxinas sobre receptores colinérgicos e alvos neuroendócrinos. O objetivo é favorecer a aquisição de conhecimentos e capacidade crítica em farmacologia voltada à aplicação nesta área. As atualizações dos conceitos que fundamentam a farmacologia e a ênfase em temas específicos da área de toxinas permitirão a aquisição de conhecimento sobre as principais variáveis envolvidas nessa área e estratégias para a busca de princípios farmacologicamente ativos em toxinas de diversas origens, identificando novas ferramentas para o estudo farmacológico ou potencial terapêutico em diversas doenças. Esses conhecimentos também permitirão identificar mecanismos fisiopatológicos e avaliar novas possibilidades de intervenção terapêutica em envenenamentos por toxinas. Conteúdo Programático: 1.Introdução à Farmacologia: conceitos fundamentais exemplificados com o estudo de toxinas coma atividade em receptores colinérgicos e alvos neuroendócrinos; 2. Ensaios usuais em Farmacologia: a- Ensaios in vivo, ex vivo e in vitro - Determinação de parâmetros farmacológicos e a importância de suas interpretações; - Mecanismos de ação de substâncias farmacologicamente ativas;- Estratégias usualmente empregadas em farmacologia para caracterização de compostos: órgão isolado, ensaios de liberação de transmissores: ensaios enzimáticos; interação droga-receptor por meio de estudos com radioligantes (curva de saturação, curvas de competição e plot de Scatchard; interpretação de parâmetros da constante de dissociação, da constante de inibição e da densidade de receptores framacológicos); b- Ensaios complementares: - Imunohistoquímica; qPCR, Western blot. 3- Toxinas de plantas, animais e micro-organismos como parte da estratégia defensiva e/ou de captura de presas; 4- Xenobióricos: conceitos gerais; 5- Toxinas de plantas, animais e microorganismos e xenobióticos: efeitos carcinogênicos, estrogênicos, sobre a glicemia e o sistema renina-angiotensina-aldosterona; 6- Seminários.

Bibliografia:

Cordenação: Irina Kerkis,

Carga horária:45

Crédito: 3

Ementa:
Os objetivos gerais da disciplina são promover o conhecimento moderno sobre: a) as toxinas como agentes terapêuticas e sobre sua ação nas culturas celulares; b) utilização das células tronco em toxinologia de medicamentos; c) possível uso das células tronco no estudo dos medicamentos celulares e anticancerígenas das toxinas; d) sobre as células tronco como a agentes terapêuticos. A indústria farmacêutica tem grande interesse nas pesquisas com células tronco, uma vez que, estas se tronaram bioferramentas para o desenvolvimento e testes de novos fármacos. As toxinas, por sua vez, dos animais englobam famílias numerosas de polipeptídeos biologicamente ativos, que divergem consideravelmente um do outro, em termos de sequências primárias, arquitetura estrutural e especificamente no alvo celular da sua toxicidade. Em face da diversidade molecular, as toxinas constituem uma fonte muito atraente de moléculas naturais com grande interesse para o desenvolvimento de novos biofármacos. A investigação sobre a composição de um determinado veneno e o estudo do mecanismo de ação de um componente individual tóxico em seu receptor-alvo (grupo de células, tecidos e organismo inteiro) contribui para o aprofundamento e a compreensão da ação farmacológica de biofármacos derivados de toxinas. Adicionalmente, o desenvolvimento de novas drogas a partir de células tronco deve se tornar uma realidade a partir da junção dos estudos da farmacologia e biologia celular, pois a gama de substâncias produzidas pelas células tronco em cultura poderia abrir novas fronteiras para a farmacologia. Conteúdo Programático: 1. Introdução. Conhecimentos atuais sobre as células tronco. 2. Células tronco como um modelo para estudo da toxicidade das drogas. 3. Toxinas: sequências primárias, arquitetura estrutural e alvo celular da sua toxicidade 4. Toxinas e células tronco como uma plataforma para o desenvolvimento de novos fármaco. 5. Células tronco com agentes medicinais sinalizadora e seu uso terapêutico. 6. Seminários, apresentação de trabalhos sobre os temas abordados.

Bibliografia:
1.Ulrich H et al.; 2008. Bases moleculares de biotecnologia. Ed.: ROCA, São Paulo, 1 edição, p. 217. 2. Estevan et al., 2011. Embryonic stem cells in toxicological studies. P.213-231. In: Embryonic stem cells-basic biology to bioengineering Ed.: by Michael S. Kallos, 478 pages. Publisher: InTech.http//www.intechopen.com/books/embryonic-stem-cells-basic-biology-tobioengineering/embryonic-stem-cells-in-toxicological-tudies. 3. Kang KS, Trosko JE. 2011. Stem cells in toxicology: fundamental biology and practical considerations. Toxicol Sci.; 120Suppl 1:S269-89. 4. Stummann, TC and Bremer, S. 2008. The possible impact of human embryonic stem cells on safety pharmacological and toxicological assessments in drug discovery and drug development. Current Stem Cell Research & Therapy, 3(2): 117-130 (Annex 1). 5. Caplan AI. 2009. Why are MSCs therapeutic? New data: new insight. J. Pathol., 217 (2): 318- 324. 6. Kerkis I, Silva Fde S, Pereira A, Kerkis A, Rádis-Baptista G. 2010. Biological versatility of crotamine—a cationic peptide from the venom of a South American rattlesnake. Expert Opin Investig Drugs, 19 (12) 1515-25. 7. Rádis-Baptista G. Kerkis, I. 2011. Crotamine, a small basic polypeptide myotoxin from rattlesnake venom with cell-penetrating properties. Curr Pharm Des. 17 (38): 4351- 61.

Cordenação: Nancy Oguiura,

Carga horária:48

Crédito: 3

Ementa:
Objetivos Discutir temas como evolução do genoma e do gene, enfocando as famílias gênicas das toxinas de serpentes. Justificativa As toxinas de serpentes são, em sua grande maioria, proteínas que são codificadas no genoma animal por famílias gênicas. Sendo assim, a base da sua evolução é a evolução gênica e genômica. Nesse curso serão discutidos temas gerais como evolução do genoma em animais; duplicações; modelos de evolução gênica; famílias gênicas, mutações e recombinações. Esses temas estão envolvidos direta ou indiretamente no aumento da variabilidade genética, no aparecimento de pseudogenes, na criação de famílias gênicas, na expressão gênica, etc. Conteúdo Programático Genoma: C-value, cromossomos, sequência Gene: estrutura, código genético, controle da expressão Mecanismos de variação gênica: duplicação, recombinação, mutação Evolução: em concerto, nascimento-e-morte, acelerada Famílias gênicas e toxinas

Bibliografia:
Gregory , T.R. 2005. The Evolution of the genome. Elsevier Academic Press, 740p. Lewin, B. 2008. Genes IX. Jones and Bartlett Publishers. Sudbury, MA. Li W-H. 1997. Molecular evolution. Sinauer Associates, Inc., Publishers. Lynch, M. 2007. The origins of genome architecture. Sinauer Associates, Inc. Publishers. Sunderland. MA. Ohno, S. 1970. Evolution by gene duplication. Springer-Verlag, New York. Artigos científicos